quinta-feira, 28 de junho de 2007

O Mercado de Trabalho - Texto de Max Gheringer

Postar textos recebidos via e-mail é meio arriscado, do jeito que as coisas circulam pela internet, é possível que vocês já tenham lido este, porém, decidi correr este risco porque é um texto muito interessante.
Esta é uma transcrição da participação matinal de Max Gheringer na Rádio CBN:

"Existem muitos gurus que sabem dar respostas criativas às grandes questões sobre o mercado de trabalho. Aqui vai um resumo da entrevista com o famoso Reynold Remhn:

Pergunto: Ainda é possível ser feliz num mundo tão competitivo?

Resposta: Quanto mais conhecimento conseguimos acumular, mais entendemos que ainda falta muito para aprendermos. É por isso que sofremos.
A felicidade só existe para quem souber aproveitar agora os frutos do seu trabalho.

Segunda pergunta: O profissional do futuro será um individualista?

Resposta: Pelo contrário. O azar será de quem ficar sozinho, porque se cair, não terá ninguém para ajudá-lo a levantar-se.

Terceira pergunta: Que conselho o Sr. dá aos jovens que estão entrando no mercado de trabalho?

Resposta: É melhor ser criticado pelos sábios do que ser elogiado pelos insensatos. Elogios vazios são como gravetos atirados em uma fogueira.

Quarta pergunta: E para os funcionários que tem Chefes centralizadores e perversos?

Reposta: Muitas vezes os justos são tratados pela cartilha dos injustos, mas isso passa. Por mais poderoso que alguém pareça ser, essa pessoa ainda será incapaz de dominar a própria respiração.

Última pergunta: O que é exatamente sucesso?

Resposta: É o sono gostoso. Se a fartura do rico não o deixa dormir, ele estará acumulando ao mesmo tempo, sua riqueza e sua desgraça.
Belas e sábias respostas. Eu só queria me desculpar pelo fato de que não existe nenhum Reynold Remhn.
Eu o inventei.

Todas as respostas, embora extremamente atuais foram retiradas de um livro escrito há 2.300 anos: o ECLESIASTES, do Velho Testamento (Bíblia).
Mas, se eu digo isso logo no começo, muita gente, talvez, nem tivesse interesse em continuar ouvindo."
Max Gheringer para a CBN

segunda-feira, 25 de junho de 2007

Manifesto à F.A. Maringá

Se já receberam esta mensagem por favor NÃO DESCONSIDEREM porque parece que é isso que os senhores estão fazendo!

Adquiri um colchão modelo Ohio que apresentou problemas de deformação, contatei a assistência técnica que prontamente efetuou a troca. O novo colchão, tendo a recomendação de ser virado periodicamente, apresentou outro problema: a costura lateral soltou-se por inteiro ao ser virado pelas alças existentes.
O Sr. Jimenez, representante dessa fábrica, disse-me que este problema não é coberto por garantia, pois, consta do "Certificado" esta ressalva.
Confiei na qualidade da Marca e decepcionei-me, pois, se existem alças, eu penso que são para serem utilizadas, do contrário deveria ser fabricado sem, talvez até seria prudente colocar uma etiqueta vermelha com um aviso: "Não use estas alças para virar o colchão".
Felizmente ainda existem pessoas que respeitam seus clientes, o dono da Comercial FAF de Rudge Ramos, SBC, loja onde comprei este colchão, prontificou-se a retirá-lo e consertá-lo sem custo para mim.
Comunico aos senhores que vou espalhar aos quatro cantos que as alças do colchão que os senhores fabricam não agüentam o peso do próprio colchão e também vou denunciá-los ao Procon.
Obrigado.


Resposta da empresa após a sexta mensagem de igual teor encaminhada (com a inclusão daquela primeira frase...)


Olá Sr Paulo,


Entendo suas razões e retifico que não desconsideramos mensagens de nossos consumidores, toda a informação é super importante para nós e são todas analisadas.
Quanto ao caso do Sr, no que tange as alças do colchão, chegou a ser assunto de uma reunião no Pró-Espuma INER (Instituto Nacional de Estudos do Repouso), entidade que reúne os melhores fabricantes de colchões do Brasil, associação da qual fazemos parte, uma vez que todos os fabricantes não incluem na garantia a alça, o próprio Sr Francisco, da FAF Colchões, poderá confirmar essa afirmativa.
Estaremos estudando alternativas para não ocorrerem mais situações como essa, e desde já agradecemos sua mensagem.

Luiz Castro
F.A. Maringá

quarta-feira, 20 de junho de 2007

Mensagem à minha amada

Rosana,

Pensei em escrever uma poesia...
Mas enquanto escrevia...
Lendo aquelas palavras sem rima
Algo me dizia que eu devia...
Escrever sem preocupação
Aquilo que mandava o meu coração
Antes de conhecer-te eu não sabia...
O que era alegria, eu não vivia
Estava triste e só, sem uma guarida
Há nove anos você aconteceu em minha vida
Agora eu sei o que é ser feliz de verdade
E quando você está distante, minha querida
Meu coração vive me dizendo: estou morrendo de saudade...

segunda-feira, 18 de junho de 2007

99 anos da Imigração Japonesa

Hoje faz 99 anos que o navio "Kassato Maru" aportou em Santos trazendo os primeiros imigrantes da terra do sol nascente. Eles vieram para trabalhar na lavoura cafeeira no interior de São Paulo, muitos vieram com a intenção de ganhar dinheiro e voltar, exatamente como os atuais "dekasseguis" seus descendentes que hoje em dia estão fazendo o caminho inverso.




Seus filhos (nisseis) e netos (sansseis) formam a maior colônia japonesa do mundo. Com o passar das gerações, eu, sendo descendente de japoneses, espero que deixemos de ser uma "colônia japonesa" que meus filhos e netos sejam vistos como 100% brasileiros, pois, nós, descendentes, vivemos ainda uma pequena crise de identidade porque aqui no Brasil somos, para alguns, "japoneses" e quando vamos para o Japão nos chamam de "gaijim" (estrangeiro)...

quinta-feira, 14 de junho de 2007

Meu Velho Tênis

Meu tênis me acompanha desde a minha primeira corrida.
Desbravamos juntos vários percursos, corridas de rua e de aventura... retas, curvas, túneis, vales e montanhas.
Companheiros de muitas conquistas e alguns fracassos (isto acontece com todo mundo!), agora surrado, desgastado, posso dizer com orgulho: Está assim porque foi muito bem usado!

quarta-feira, 13 de junho de 2007

O que o esporte me ensina

Sou esportista amador, pratico, atualmente, a corrida de rua.
Ela me ensina algumas coisas que levo para o meu dia-a-dia, como por exemplo:
Perseverança - Na corrida aprende-se a não desistir com a primeira dor, com o primeiro obstáculo e continuar sempre em frente, no seu ritmo, até a linha de chegada.
Respeito e Humildade - Aprende-se a repeitar primeiro os seus limites e depois também os outros participantes, desde aquele que está bem abaixo do seu ritmo e que você ultrapassa sem deixar de incentivar e elogiar àqueles que mesmo sendo teoricamente "menos aptos" que você, ou seja, senhores de cabelos branquinhos, ou mesmo atletas com uma barriga um pouco mais saliente que a sua que te ultrapassam e vão embora...
Amizade e Solidariedade - Nos dias de corrida você encontra, cumprimenta, ou seja, interage com várias pessoas, sendo que, mesmo aquelas que nunca te viram na vida te recebem com um belo sorriso.

segunda-feira, 11 de junho de 2007

Namorados

Começa com uma atração irrestível...
Depois vem a paixão inevitável.
Paixão que eleva seu par às raias da perfeição.
No início os amantes mostram o que têm de melhor, estão sempre dispostos, alegres, arrumados, cheirosos, prontos para a diversão.
Com o tempo e a convivência, o príncipe e a princesa viram pessoas comuns com virtudes e defeitos.
Aí então predominam a amor, a cumplicidade, as afinidades, pois os namorados vão se conhecer mesmo de verdade só depois de casados...

segunda-feira, 4 de junho de 2007

Salvem o Planeta da destruição!

Esta é uma obra de ficção, qualquer semelhança com a realidade é mera coincidência...
Em meus devaneios sobre o tema viajei no tempo e no espaço... Agora estou em outro planeta, muito longe, fora do Sistema Solar. Por algum motivo sobrevivi à atmosfera local, aliás, ela causou em mim uma mutação... estou muito parecido com os habitantes locais... agora posso entender a língua deles também.
Não quero olhar para o espelho, não quero ver em que me transformei...
Vejam só! Aqui eles têm Zoológico também... animais de vários planetas... entrei agora no setor "Animais de Planetas Extintos" Meu Deus! "Planeta Terra" Há um casal de humanos exposto!


Em uma placa metálica leio a Ficha Técnica:




Espécie: Homo Sapiens
Habitat Natural: Planeta Terra
Tempo de vida: Em cativeiro em média 100 anos
Coloração: Varia do branco ao negro
Dieta: Carne e vegetais
Peso: Macho em média 80 kg e fêmea 60 kg
Gestação: Período de nove meses (indivíduos expostos – inférteis)


Espécie totalmente extinta em seu habitat natural, indivíduos expostos obtidos por meio de clonagem de embriões encontrados em Sonda Espacial denominada VOYAGER 100 recolhida em nossa atmosfera.

Causas da extinção da vida no Planeta Terra: Esgotamento dos recursos naturais, inundação causados pela poluição (emissão de gases pela indústria, queima de combustíveis fósseis, lançamento de esgoto sem tratamento nos rios, queimadas), degradação, desmatamento, acúmulo de lixo pela falta de vontade em reciclá-lo, e por fim, uma Grande Guerra na disputa por fontes escassas de água potável.

Figura postada de Linda Salzman Sagan http://pt.wikipedia.org/wiki/Homo_sapiens

sexta-feira, 1 de junho de 2007