terça-feira, 28 de agosto de 2007

IMAGEM

Antigamente, a imagem que eu tinha de mim mesmo era como a imagem de um espelho, parecia perfeita, porém, era totalmente invertida.
Preocupava-me muito em ser o que "eu pensava" ser a vontade dos outros, não queria desagradar ninguém e sempre acabava me desagradando...
Hoje vivo segundo as minhas verdades sem subserviência, mas também e, principalmente, sem soberba, que é muito pior que a primeira.
Neste mundo consumista em que vivemos, muitos preocupam-se demasiadamente com sua imagem perante os outros, "ter" significa mais do que "ser", as crianças estão aprendendo desde muito cedo a serem consumistas também. Muitos pais por comodismo não impõem limites aos seus filhos, nunca dizem não, compram tudo que eles pedem pensando que com isso vão comprar também o amor deles. A culpa de "não ter tempo" para os filhos se transforma em todos esses "sim"... Depois, ouvimos no noticiário que uma jovem rica que tinha de tudo, do bom e do melhor, planeja e ajuda a executar a morte dos próprios pais...

quarta-feira, 22 de agosto de 2007

...

... Se é a Tua vontade fico resignado...
Por que pensas que é Minha vontade separar entes queridos? Pensas que é Minha vontade também que centenas de vidas sejam ceifadas, diariamente, em acidentes? Pensas que é Minha vontade que crianças morram de fome e doenças?
Então por que...? Se Tens o poder sobre tudo e sobre todos?
Nem o mais sábio entre os sábios entenderá Meus desígnios... Neste momento Eu não quero interferir no curso natural da vida. Este tempo em que vives é invenção dos homens, para Mim não existe tempo, e, em breve, confie em Mim, não existirá também para todos que acreditam...

sábado, 11 de agosto de 2007

Meu Pai

Meu pai era, essencialmente, uma pessoa simples, humilde. Filho mais novo em uma família tradicional japonesa cuja educação era muito rígida, onde o homem primogênito tinha suas regalias, a "preferência" do pai. Foi mais ou menos essa educação que ele trouxe para a sua família, pois era a única que conhecia, que fora passada por seus pais, porém, no decorrer de sua vida ele soube mudar, ele se tornou menos rígido, mostrou-se até mesmo brincalhão com todos à sua volta era muito querido por todos que o conheciam. Quando eu saí de casa há 8 anos a minha relação com ele, por mais paradoxal que possa parecer, se tornou mais próxima, só aí, então tive a oportunidade de abraçá-lo mais, de beijá-lo mais, sempre que eu vinha à sua casa sentia nele grande alegria em me receber. A minha mulher foi a grande responsável por essa aproximação maior entre nós, aliás ele a tinha como filha, ficava até emocionado ao contar para a minha irmã mais velha como era tratado pela nora. Ele nos deixou neste 30/07/2007.

Meu coração ainda está apertado com sua falta
Estou tentando aceitar a sua partida
Um dia, eu sei, seremos uma família ainda mais unida

Peço perdão por algumas falhas ou omissões
Amo você, e isso pude demonstrar-lhe com muitas ações
Imagino que esteja bem, pois, era muito feliz aqui entre nós