sábado, 11 de agosto de 2007

Meu Pai

Meu pai era, essencialmente, uma pessoa simples, humilde. Filho mais novo em uma família tradicional japonesa cuja educação era muito rígida, onde o homem primogênito tinha suas regalias, a "preferência" do pai. Foi mais ou menos essa educação que ele trouxe para a sua família, pois era a única que conhecia, que fora passada por seus pais, porém, no decorrer de sua vida ele soube mudar, ele se tornou menos rígido, mostrou-se até mesmo brincalhão com todos à sua volta era muito querido por todos que o conheciam. Quando eu saí de casa há 8 anos a minha relação com ele, por mais paradoxal que possa parecer, se tornou mais próxima, só aí, então tive a oportunidade de abraçá-lo mais, de beijá-lo mais, sempre que eu vinha à sua casa sentia nele grande alegria em me receber. A minha mulher foi a grande responsável por essa aproximação maior entre nós, aliás ele a tinha como filha, ficava até emocionado ao contar para a minha irmã mais velha como era tratado pela nora. Ele nos deixou neste 30/07/2007.

Meu coração ainda está apertado com sua falta
Estou tentando aceitar a sua partida
Um dia, eu sei, seremos uma família ainda mais unida

Peço perdão por algumas falhas ou omissões
Amo você, e isso pude demonstrar-lhe com muitas ações
Imagino que esteja bem, pois, era muito feliz aqui entre nós

3 comentários:

pensamentosocultos disse...

É sempre difícil perder algém de qem gostamos !Há que despertar porque a Vida não acaba aqui !

Abraço , Boa Semana .

Márcia(clarinha) disse...

Sinto muito meu amigo, pela perda quando se [re]encontraram, mas de tudo fica a lembrança e as histórias para contar.
Sinto muito pela dor que sente, mas me alegra saber que tem a seu lado uma companheira amiga, forte e decidida que com amor lhe completa.
carinho meu
beijos

Márcia(clarinha) disse...

bom dia procês, com carinho
beijos