sábado, 8 de novembro de 2008

Por quê?

Nos momentos mais difíceis da minha vida tu me deixaste...
É estranho... Isto foi um alívio, foi necessário.
Outras vezes, eu quis expulsar-te, mas tu insististe em ficar...
É triste, mas, isto me fez mal.
Agora já não brigo mais contigo, deixo-te ir ou ficar.
Não me sinto mais culpado quando tu ficas, nem envergonhado quando tu vais...
Eu sou assim... Nem melhor... Nem pior... Esse é o meu jeito.
Lágrima minha, fica à vontade de agora em diante.