quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

AS MÍDIAS SOCIAIS

Neste mundo onde as informações circulam na velocidade da luz, onde os acontecimentos chegam ao conhecimento de todos quase que instantaneamente, as mídias sociais nos oferecem um milhão de oportunidades... Compartilhar fotos, vídeos, textos, ideias, conversas instantâneas com pessoas que estão do outro lado do mundo, jogos, realidade virtual.

Contudo, como diziam os mais antigos: “A diferença entre o remédio (o que é bom) e o veneno (o que é ruim) está na dose”. Muitas pessoas se perdem neste mundo de possibilidades, neste mundo virtual se esquecendo do que é real, do que é realmente importante.

Ao mesmo tempo que uma mídia social pode aproximar pessoas muito distantes ela geralmente distancia pessoas próximas. Quantas vezes você já viu em uma mesa um grupo de amigos, todos, sem exceção, com os olhos vidrados em seus smartphones?

No Japão há muitos jovens que trocam o namoro com uma mulher real por uma virtual. As namoradas virtuais devem ser melhores para eles pois não tem problemas, tpm, não questionam, não cobram, são fruto da superficialidade comum nas mídias sociais.

As mídias sociais, assim como a internet como um todo, devem ser utilizadas com parcimônia, devemos fugir a qualquer custo da “escravidão virtual”, dar um tempo para nós, priorizar o que é real, família, amigos, preferir um abraço a um “click” ou um “post”, não precisamos estar “all time online”.